Retro Games Revival: Maio 2013

29 de mai de 2013

Super Space Acer

Super Space Acer
Shmup homebrew bem legal e com um histórico interessante. Jogo que traz a estreia de mais dois sistemas aqui no Retro Games Revival.
Abertura no TI

25 de mai de 2013

Demolition Herby

Demolition Herby
Wham! Bam! Cuidado, minha senhora
Você é Herby o Demolidor e está fora das suas estradas. 

Esse é mais um jogo da Telesys, criadora do ótimo Fast Food.  

O jogo tem o esquema de Amidar, temos que passar pelos quadros para pinta-los, mas diferente dos quadros do clássico citado, esses são exatamente do mesmo formato. Como se fossem quarteirões. Sim. Pois pilotamos um carro para pintar os quadros e há outros veículos que podem reverter o efeito de suas passadas pelos quarteirões.

Podemos jogar esses outros veículos para escanteio, mas temos que bater na traseira ou na parte de cima dos mesmos. Se batermos de frente ou se eles baterem no nosso carrinho, nos é que vamos para escanteio.

Ir para o escanteio ou mesmo mandar os outros para escanteio é um perigo, pois os veículos vão com velocidade, ricocheteiam até os limites do escanteio e voltam cruzando os quarteirões - e quem estiver pelo caminho também vai se ferrar - até o poder do impacto cessar. 

Nosso carro tem nitro. É só apertar o botão de ação. Mas enquanto você acelera não pinta os quadros. E para piorar, nossa gasosa queimará mais rápido.

Cada vez que você pinta um quadro, você ganha combustível. Se for um combo de quadros, mais combustível você ganhará.

Jogo com grau de dificuldade altíssimo (pelo menos para mim).

Bons gráficos e efeitos sonoros, dentro dos limites do Atari 2600, claro. 

Sem duvida um ótimo jogo, desafiante e divertido

Referências:
Demolition Herby na Moby Games (descrição em inglês e outras screens)
Vídeo de gameplay: AQUI


FICHA
  • Jogo..............DEMOLITION HERBY
  • Release........TELESYS (1983)
  • Sistema........ATARI 2600
  • Estilo............. Carrinhos, Perseguição


22 de mai de 2013

Snapper

O Pac-Man oficial do B B C Micro lançado pela Acornsoft.

Uma versão com bons gráficos, bons efeitos, boa jogabilidade e, quase fiel a original.

O labirinto é bem feito. As marcações estão elegantemente todas acima do labirinto. Peca apenas não ter as animações entre as fases. 

Há diferenças entre o original da Namco na programação de perseguição .

Mas Jonathan Griffiths realmente fez um belo trabalho nessa versão para as maquinas da Acorn. 

Ficou tão bom que resolveram mudar os shapes dos personagens para evitar problemas legais. 

Pac-Man virou um laranja (?) com pernas e chapéu de cowboy, e os fantasmas ganharam braços e pernas se tornando humanoides.

No Acorn Electron, Snapper já está com os shapes recriados.

Curiosamente, há imagens do jogo datadas de 1982 e, descritas como Pac-Man MESMO. Teria a possibilidade de ser um hack?  

Refenrência: Wiki

 FICHA



 

21 de mai de 2013

Galaforce

Galaforce
Hoje trago um jogo que é dica do amigo (e "antropólogo" de retro video-games) Marcus Vinicius Garrett. Jogo criado para sistemas que estreiam aqui no site. Falo de micros ingleses da Acorn. Nesse caso aqui são o B B C Micro, o Electron e o Atom.

A "antiga novidade" (para mim) dessa vez é o Galaforce de Kevin Edwards.


                                                                                Enredo
Nos meados do século 25, a União Cosmológica Unida declarou guerra aos selvagens beligerantes que habitam a galáxia de Magalhães. Apenas os mais experientes pilotos foram escolhidos para embarcar na perigosa missão de conquistar e derrubar as hordas de Magalhães, chamadas de Galaforce.

O Jogo 
Galaforce, como o podemos deduzir, tem algo de Galaga. Mas usa o esquema de formação diferenciado.

Temos uma boa variedade de inimigos e inúmeras são as formas nas quais as esquadras se apresentam e atacam.

Diferente do Galaga, nossa nave se desloca em todas as direções no cenário sem scroll, como em Arcadia, que é outro jogo  no qual temos vários inimigos e inúmeras são as formas que nos  atacam.

Galaforce agrada a qualquer fã do gênero pois conta bons efeitos sonoros e os trechos de musicas são encaixados em momentos certos. Os gráficos são muito bons, com variados inimigos e tudo bem colorido. E finalizando, temos uma ótima jogabilidade.




No Acorn Atom
Galaforce em outros Micros Acorn
Existe versões do jogo para outros micros  ingleses. No caso, para o Acorn Electron e o Acorn Atom.

No Electron, as cores são mais sóbrias, menos coloridas, mas é praticamente o mesmo jogo.

No Atom, as cores mudam mais uma vez. 

Nos dois casos, os efeitos sonoros são mais simplórios (no Atom ainda mais) do que no BBC Micro, mas continua sendo o mesmo jogo.
No Acorn Electron

Para mim, a versão BBC Micro é a melhor. 

Galaforce 2
Por fim, Kevin Edwards  fez o Galaforce 2 - Alien's Revenge que é tão bom quanto o primeiro, talvez até melhor, com uma musica muito boa. (Essa versão 2 não terá um review pois seria chover no molhado).

O Electron também foi contemplado com o Galaforce 2.

Dedico esse review e a inauguração da série sobre Shmups Old Skool ao Marcus Vinicius Garrett. Principalmente por me apresentar ao B B C Micro  e a outros micros ingleses que eu desconhecia.

Confiram os vídeos no final da Ficha.

Sites Recomendados:


Nota: Uma versão mais completa desse review poderá  ser vista na próxima edição (10) da revista Jogos 80.

 FICHA


20 de mai de 2013

Future Looter


Jogo interessaste, misto de estratégia, paciência com ação e a tão requerida destreza. Também é de nave e tiros, mas longe de ser um shmup no sentido convencional. Atiramos somente em alguns alvos  e, nos esquivamos muito mais do que detonamos com nossos tiros.

17 de mai de 2013

Draconian

Alguns o consideram um clone de Bosconian. Mas eu concordo com o Juan Castro. É apenas um jogo com "um o que de" Bosconian, com elementos diferentes, jogabilidade diferente e um contexto diferente.
Seria injusto dizer que Draconian é apenas um clone do clássico da Namco.

Obviamente estamos em missão na Constelação do Dragão. Os setores - onde gameplay rola - nessa constelação estão delimitados por paredes. Não estamos em um espaço de looping como o de Bosconian.
 
Nossa missão é salvar astronautas aprisionados em um cativeiro triangular. Em cada ponta há uma esfera (valem 250 pontos cada) nas quais devemos atirar afim de desativar o campo de força para resgatarmos o prisioneiro (valem 500 pontos).

Temos minas e asteroides estáticos nesses setores. Se atirar nas minas (valem 40 pontos), mantenha uma certa distancia para não ser atingido pela explosão. No caso dos asteroides (valem 10 pontos), podemos atirar mais de perto.


Vez por outra uns dragões te perseguem.  Não sei se são naves ou seres orgânicos, ou híbridos, mas enfim, é bem chato e difícil se esquivar ou atirar nos malditos. Acho que abatidos valem 70 pontos, mas não estou certo disso.

Depois de resgatar todos os prisioneiros, uma abertura no limite superior do setor, bem no centro, é sinalizada no radar. Mire na passagem com precisão, se não, a nave vai explodir.

Se não for rápido na missão, o painel lateral emite um sinal de alerta e aparece a nave mãe, a dragão mãe, ou pai, sei lá... O que importa é que você incomodou e a coisa vai ter perseguir implacavelmente.

Após entrar no corredor, paramos numa estação e uma contagem é realizada, depois  partimos para o setor 2.


Aqui no setor 2, as esferas que geram o campo de força atiram na sua nave. Mais dragões vão te perturbar... E gradativamente, mais dificuldades surgirão.

Sendo curto e grosso... Sem a menor sobra de dúvidas é um dos melhores jogos do CoCo. Nota 11!

Download e informações em inglês: AQUI


FICHA

15 de mai de 2013

Seleniak

Inaugurando mais uma série aqui no Retro Games Revival. Série na qual vou registrar muitos jogos de naves e tiros (os Shoot'Em Up) da velha guarda. 
Na verdade, essa série já foi inaugurada desde o review do Arcadia (14/10/2012), seguido pelos reviews do Cerberus Arcade e Cerberus CPC (19/10/2012). Estou apenas oficializando e linkando essa "primeira onda".

Do mesmo modo como é com Pac-Mans, jogos de naves "Old Skool" não tem muito o que detalhar em reviews. Mais uma vez terei apenas a  função de jogar um pouco e registrar. "Árduo" trabalho que não gosto nem um pouco. 

Ironia a parte, algumas vezes estarei conhecendo alguns jogos que serão antigas novidades para mim.

Outras vezes, estarei apenas relembrando alguns jogos desse estilo que foi a primeira grande febre dos vídeo games.

Seleniak está no meio do caminho. Surgiu depois da época de ouro, mas já tem quase dez anos. E soa como novidade para mim.

Seleniak
Erika Seleniak é a guarda espacial mais gata da galáxia. Seleniak foi enviada a lua para rechaçar as hordas aliens enviadas por Ciggy Starlust.


Bem, obviamente comandamos a moon ranger (tá mais para nave) de Erika Seleniak nesse jogo simples, porem, muito bem feito. 
Pelo scroll através do desfiladeiro lunar, o veiculo da moça se move em todas as direções atacando  todo tipo de alien que aparece pela frente.

A cada 32 aliens abatidos, você muda de fase sem aviso prévio. Imediatamente as encostas mudam de cor e novos e diferentes aliens surgem em movimentações também diferentes. E a coisa vai ficando mais complicada  a cada momento. O "fator arcade", claro.

Mais um ótimo jogo surgido na MSXdev'04, outro trabalho de Madonna Mark II (o(a) mesmo(a) criador(a?) do ótimo Sink King). 
Jogo nota 10 em tudo. Vicia fácil fácil.

Mais sobre Maddona Mark II: AQUI
Sobre Erika Eleniak (inspiradora da personagem do jogo): AQUI
(grato ao Daniel Franzini pela observação)

FICHA
  • Jogo..............SELENIAK
  • Release........GAZUTA RASTER LEISURE / MADONNA MARK 2 (2004) p/ MSXdev
  • Sistema........MSX1
  • Estilo.............Shmup, Perspectiva Multidirecional, Ação
  • VIDEO

2 de mai de 2013

Gem Chaser


GeM Chaser

Na onda dos jogos de estratégia, vamos agora de um caso de demake (um retro port), que estão muito na moda hoje em dia.
Gem Chaser foi criado originalmente para Xbox 360 pela Eletric Wolf Games, mas Bob Smith fez sua versão para alegria dos usuários de ZX SPECTRUM.

GetEmDX

Como este é um jogo com um tratamento profissional e comercial, ele tem um enredo,  mas este é longo e bobinho pra caramba. Não vou transcreve-lo aqui. O enredo não influencia na  jogatina, que é o mais importante.

Resumindo o enredo, os bichinhos felizes aí, o Getty e a Emma, foram aprisionados nas Masmorras do Infinito de Nyarlu pelo rei troll. E quem for jogar, comandará um dos dois na busca pela liberdade.

Comercialmente, Get'Em DX está disponível em cassete, disquete e cartucho. 
A versão comercial suporta multiplayer com o outro personagem, a Emma
Na versão free, só jogamos com o Getty.

1 de mai de 2013

Rally Fever

RALLY FEVER
Inspirado no Rally Driver e pela disputa nos fóruns da WoS, Dave Hughes fez esse ótimo Rally Fever.

É simples como a inspiração, mas os controles são menos sensíveis, mais precisos. 
O scroll é mais rápido,  e a direção é oposta, ou seja, na vertical acima.

Os cenários mudam de cor conforme o progresso. Vão do azul ao vermelho, magenta, ciano, amarelo  até o branco.

Mesmo sendo simples e, usando os trunfos de Rally Driver, esse Rally Fever é bem feito pra caramba! Nadinha crappy game. Mas foi a partir de um bom (de no bom sentido) crappy é que surgiu esta pequena pérola.

Mais uma vez, obrigado ao Alexandre Colella pela dica. Muito boa dica por sinal.


////Jogo.....: RALLY FEVER
////Release.: Dave Hughes (2013)
////Sistema.: ZX SPECTRUM
////Estilo....: Carro, Ação

Links e Referências:

Retro Games Revival

Rally Driver

Jogo indicado pelo amigo Alexandre Colella.  A indicação se deu pela ocorrência de alguns fatos no fórum do World of Spectrum.

É o seguinte. Esse jogo foi "descoberto" por Dave Hughes, que "viciou" e propagou esse vicio entre os usuários do fórum.

A ideia de Rally Driver é simples e eficaz. Na visão aérea do jogador, guiamos um carro na vertical e descendo. Simplesmente desvie das sinuosidades da pista e vá o mais o longe possível. Qualquer saída da pista, você explode e acabou! 

Como assim acabou? É isso mesmo! Bateu, você recebe seu score, escreve o nome e começa novamente outra partida. Ou, um outro amigo começa a partida dele e vocês disputam um "rally".

E os grandes trunfos de Rally Driver são esses:  o progresso dinâmico e a superação! 
Seja essa superação sobre um amigo ou, uma auto-superação.

No fundo, o jogo é o que se classifica como "crappy game". Mas este é um bom exemplo de que, nem sempre se precisa de uma super produção para uma boa diversão. 
Em muitos casos, jogos simples, as vezes com gráficos toscos são muito atrativos, pois conseguem divertir com boa(s) e ideia(s) e uma boa jogabilidade.

O controle do carro é hiper sensível. É meio complicado de jogar, mas o povo vai longe. Veja aqui: Rally Driver Hi-Score Challenge!!!

E o mais legal é que o Dave Hughes ficou tão animado que se inspirou e criou o Rally Fever.

Obrigado ao Alexandre Colella pela dica.

  FICHA
  • Jogo..............RALLY DRIVER
  • Release........MICRO MART SOFTWARE / DAVID FALCON (1984)
  • Sistema........ZX SPECTRUM
  • Estilo.............Carro, Ação


Monster House

Relativamente recente, esse jogo (feito pelo japonês H. Kobo) me lembrou logo de cara o Majikazo da Limonize, pois também é sobre um mago em um labirinto enfrentando monstros. Porem, tem uns toques de outros jogos, o que o tornou bem diferente.

Passando pelo labirinto (simples, estilo Armored Car) você tem que trocar as cores, e faz isso naturalmente, enquanto percorre o trajeto, como em Crush Roller e Turbomania.

Você pode esbarrar com os monstros e, então perderá uma vida.  Você deve se esquivar das criaturas, mas você tem o poder de lançar um feitiço em forma hexagrama circundado que os transformarão em itens variados. Podem ser frutas ou algum power-up.

Completando a alteração de cor do labirinto todos os monstros se transformam em itens. Se apresse, pois o tempo para recolher esses itens é curto. Depois aparecerá a tela com resultado do que você conseguiu e você pode começar a próxima fase.

Até onde eu joguei, as únicas fases diferentes, são umas nas quais um mago inimigo manda um feitiço em forma de monstro de fogo para te perseguir. Esse mago some e aparece por todo e qualquer canto do labirinto.

O jogo é caprichado em muitos aspectos! Tem uma musiquinha muito boa, bons efeitos sonoros e  bons gráficos.
A jogabilidade é apenas razoável, com a movimentação um pouco truncada. Quase certo  de ser MSX-Basic.

Mas o grande problema é que não tem muita variação. Tende a enjoar fácil. 
Mesmo assim, vale uma conferida. Eu mesmo acabei indo longe. O que prova que o jogo prende um pouco a atenção.

Monster House no site do Konamito
Jogos do Hiroshi Kobo no site do Konamito: AQUI NESSE LINK

FICHA
  • Jogo..............Monster House
  • Release........H. KOBO (2011)
  • Sistema........MSX1
  • Estilo.............Labirinto, Onescreen, Ação
 



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...